Crítica: Mad Max: Estrada em Fúria (2015)

Sinopse

Após ser capturado por Immortan Joe, um guerreiro das estradas chamado Max (Tom Hardy) se vê no meio de uma guerra mortal, iniciada pela Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) na tentativa se salvar um grupo de garotas. Também tentanto fugir, Max aceita ajudar Furiosa em sua luta contra Joe e se vê dividido entre mais uma vez seguir sozinho seu caminho ou ficar com o grupo.

Fonte: AdoroCinema

Crítica

No último final de semana (22/05), fui ao cinema conferir de pertinho a super produção de Mad Max: Estrada em Fúria (2015), que chegou as telonas em 14 de maio deste ano. Distribuído pela Warner Bros, e com o custo de cerca de 150 milhões de dólares, o longa foi filmado em Namíbia, sul da África, em cenário extremamente seco e classicamente histórico.

A trama de modo geral é de tirar o fôlego, com efeitos gráficos de primeira linha, cenários extremamente bem estruturados, uma bela fotografia, e enquadramentos perfeitos. Tudo que muito dinheiro pode pagar.

Mas em contra ponto, Max interpretado por Tom Hardy, não fez valer sua presença no filme. Hardy tem muitas qualidades, é um ator premiado, e seu potencial não foi explorado como deveria. Por limitações ideológicas do diretor. O filme adotou uma vertente feminista, que colocou o empoderamento da mulher em foco, a história apenas contou com a contribuição de Max, de fato não era sobre ele, e por o isso o nome do filme deveria ser “Furiosa na Estrada” e não Mad Max.

Não houve sondagem em relação as história de cada personagem, eu senti falta disso. Eu precisava saber quem eles eram, antes do tempo da trama, este contato com a história de cada indivíduo, me causa identificação, envolvimento, coisas de caráter principal, para ser classificado como um bom filme. Esta característica é muito bem representada no longa “O homem que não amava as mulheres (2012)”.

O longa retratou o universo masculino “pós-apocalíptico”, com cenas de apelo emocional, como por exemplo a morte da esposa grávida do Immortan Joe, a quase morte da Furiosa, e fé incondicional de Nux. Entretanto, a super produção é muito boa, deixou um pouco a desejar no quesito história, mas em contra ponto é um filme que prende sua atenção até o final.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *